Saga Evanescente
Jul 19

What’s up, gente? ;)
Hoje em Debaixo das cobertas com o Max eu vou falar um pouquinho sobre a construção de personagens, que é bem fácil, yep. Mas na hora da prática, nem tanto (pelo menos, eu acho, besito).
Depois (ou mesmo antes) de construir o seu início (eu falei sobre eles aqui) é preciso construir seus personagens antes de partir para o miolo da história. Afinal, é baseado na personalidade de cada um que a estória vai decorrer, right?
Uma coisa delicada sobre os autores com seus personagens é colocar MUITO de si neles. Tudo bem que é inevitável não colocar sua essência na sua criação, mas tem que se tomar cuidado nessa parte.
Outro problema também é quando as personalidades acabam se misturando. Tome cuidado com isso! Afinal, nós não somos todos iguais. E seu personagem extremamente medroso não pode virar um destemido domador de leões de um circo de uma hora pra outra O.O
Então, aí vão as minhas dicas:

- Não fique preso a um único personagem! Saiba separar cada um deles. Mesmo quando é só em primeira pessoa que não acontece a mudança de POV (Point of View/Ponto de Vista), você precisa estar conectado aos outros personagens também. Afinal, baseado na personalidade de cada um é que você montará as falas e as decisões que eles tomarão durante a estória, mesmo que você não esteja por trás dos olhos deles enquanto narra.

- Personagens secundários, terciarios, quinquagenários (tanto faz) são importantes sim! Mesmo que não seja um personagem importante na estória, faça um personagem bem definido – principalmente se for uma pessoa que participa da vida do personagem cotidianamente. Por exemplo, o trocador de ônibus. Eu pego o mesmo ônibus todos os dias, mas os trocadores são revesados; às vezes é uma mulher e às vezes é um homem. Eles não têm nenhum papel realmente fundamental na minha vida além de liberarem a minha passagem pela roleta e geralmente eu troco só um bom dia com eles ou uma piadinha básica quando minha bolsa fica presa na roleta (acontece quase sempre #desastrada), mas nos dias que eu pego ônibus no final de semana e é um trocador diferente, eu sinto falta dos dois porque eles são familiares para mim. Lembre-se disso.

- Ficar parágrafos e parágrafos falando sobre descrição física ou psicológica é MUITO chato! É importante sim que o seu leitor conheça os personagens para que fique mais fácil haver uma empatia. Dê detalhes físicos por cima: cor dos olhos, cor do cabelo, se é baixo, alto, magro, gordo, musculoso, cor da pele e se tem alguma cicatriz (que seja MUITO evidente) ou algo do tipo. A graça na leitura é que você imagina os personagens ao seu modo, cada um vê uma coisa diferente neles. Descrições muito detalhadas destroem essa parte da leitura. Fala sério, quem quer saber quantas pintas o seu personagem tem no rosto ou se tem uma estria na batata da perna da sua protagonista? :rolleyes:

- Ainda falando um pouco sobre o tópico acima e características físicas, lembre-se de falar das imperfeições do personagem também. Ninguém é perfeito! Não precisa uma lista de todas as imperfeições do corpo da criatura, mas fale daquelas mais essenciais e que ficam mais vísiveis. Tipo um nariz quebrado ou uma cicatriz na perna. Essa parte da descrição física tem que ser feita com cuidado pra não ser exagerada ou imparcial demais.

- Sobre o psicológico, não acho que precisa realmente de um parágrafo descrevendo ele, né. A personalidade das pessoas ficam implícitas no jeito que elas falam, pensam e agem. É legal colocar uma descrição parcial, mas ela vai ser mais aprofundada durante o decorrer da coisa.

- FUJA DO CLICHÊ NA HORA DE MONTAR SEUS PROTAGONISTAS!

- Fique de olho no padrão repetitivo nas estórias em relação ao passado dos personagens: pais divorciados, mortos, adotivos, padrinhos/madrinhas malvadas ou pais que não se importam com o que os filhos fazem. Fica a dica.

Como uma velha e (não tão boa) jogadora de RPG de fórum, eu sempre fui acostumada a criar personagens baseadas em uma ficha básica pra que quem fosse jogar comigo ter uma referência de como agir diante do meu personagem e para que eu mesma tivesse alguma coisa pra recorrer quando ficasse na dúvida do que fazer a seguir com o meu personagem em alguma situação. Abaixo, eu criei uma ficha simples:

Fulano de Tal

Idade:
Profissão (ou ano do colegial/faculdade):
Cidade natal:
Família:

—— *——- * —— *

Cabelo:
Olhos:
Tipo físico:
Cicatriz/marca?:
Altura:

—— *——- * —— *

Hobbies:
Manias:
Bons hábitos:
Maus hábitos:
Talento: (toca algum instrumento, é atleta, canta bem… Se ele for algum ser sobrenatural, os poderes dele se encaixam here também)
Traumas/fobias/medos:
Objetivo:

—— *——- * —— *

História do personagem: aqui você coloca um pouco sobre o que aconteceu com ele antes, justificativas para ele agir da maneira que age… Enfim. Mesmo que você não fale do passado do seu personagem na sua estória, é importante que você saiba o que aconteceu na vida dele antes pra poder se basear nos acontecimentos futuros. Se você teve um coração partido no passado, logicamente você vai ficar com um pé atrás de se apaixonar novamente. Se seu personagem foi um assassino no passado, obviamente ele será mais imparcial e será menos afetado ao ver um corpo na frente dele.

—— *——- * —— *

Relacionamentos: Quem ele namorou? Quem ele vai namorar? Quem ele odeia? Quem ele ama? Aqui você coloca os relacionamentos que o seu personagem teve, tem e vai ter.

Pode parecer besteira fazer isso, mas ajuda bastante. Quando surgir aquela dúvida de o que deve acontecer com o personagem a seguir ou o que ele faria, você tem a lista pra se basear – e aí corre menos risco de deixar todos os seus personagens parecidos e baseados em você mesmo.

Leia mais artigos sobre criação de personagens aqui:
- Como Construir Personagens – Parte I
- Como Construir Personagens – Parte II
- Como Filtrar as Descrições Através dos Personagens
- Conexão Emocional Entre Leitor e Personagem

Então é isso, gente. Até a próxima coluna! Espero que tenham gostado das dicas :3






Page 2 of 151234510...Last »